quinta-feira, 18 de novembro de 2010

O monstro chamado “não”

A gente sabe que conseguir um estágio não é coisa fácil. E, como estamos unidos pela publicidade, é sobre os estudantes dessa área que o DV vai falar um pouquinho. A quantidade de “não” que a gente leva nas agências é normal pra quem já viveu e sabe, mas é absurda pra a gente. A verdade é que um estagiário não tem que ter experiência, como muitas agências pedem. Mas, a gente sabe que sem experiência, conseguir um estágio é quase uma missão impossível. É uma frustração que acaba fazendo você considerar se deve continuar no curso. Bom, muita calma nessa hora. Se você está fazendo publicidade, faz porque gosta. Assim esperamos. Porque publicidade, venhamos e convenhamos, não é um curso que vai te deixar rico tão rápido. Então, presumimos que se você tá no curso, é porque quis vencer uma possível futura falta de dinheiro pra exercer a sua paixão. E se você gosta assim, futuro colega de profissão, você vai saber fazer certo.
Certo que o desespero toma conta, e você acha que não vai ter o seu lugar, mas é aí que vem a dica: se você for bom, o mercado é seu.
Uma coisa que decepciona é ver a quantidade de publicitário meia boca que atua por aí. E não, não estamos falando de publicitários que fazem propaganda ruim porque o público tem nível mais baixo. Estamos falando de publicitários que não sabem lidar com o job que têm nas mãos. É disso que a gente tira forças. Hoje em dia, quem entra pra fazer publicidade, entra porque é um apaixonado, e tudo feito com paixão, dá certo. Não eliminando, claro, algumas pessoas que entram no curso por querer um curso superior no currículo e achar que publicidade é coisa fácil. Mas você não é assim. (Por favor, não seja assim). A publicidade, não só a pernambucana, como a brasileira, ainda precisa de bons profissionais. Os poucos que existem hoje precisam de alguém que continue com o bom trabalho. É por isso que você tem que investir em você.
Seja bom. Seja ótimo. Invente uma nova palavra para descrever o quão excelente você vai ser. E não tenha medo de levar “não”, porque esses podem vir em quantidade.
Você pode levar a sorte de ser reconhecido em uma das suas primeiras tentativas. Se não, vai ganhar uma experiência: quando conseguir entrar numa agência, vai perceber que lidar com a reprovação do cliente é coisa para poucos, mas nesse ponto, você já vai saber que começar tudo outra vez pode render um final diferente.

5 comentários:

  1. docaralho, Paty.

    ResponderExcluir
  2. oi vim retribuir a visita e dizer seus textos são ótimos.realmente propaganda não é fácil.beijos ELISA.

    ResponderExcluir